Tatiana Maslany: Depois do Clone Club

17 de Julho de 2017

Interview Magazine divulgou hoje o artigo + sessão fotográfica da Tatiana Maslany para a nova edição da revista. Ao clicar nas miniaturas em baixo podem conferir as novas fotos da atriz e em baixo podem ler um excerto da entrevista realizada pela atriz de Orange Is The New Black, Uzo Aduba.

Fiquei muito feliz ao ler personagens femininas como estas. Fiquei entusiasmada mesmo com a perspectiva de interpretar uma delas; Estava ansiosa para estar na sala de audição e começar a interpretar alguns personagens por uma hora. Estava a sonhar, obviamente, sobre como conseguir o papel, mas apenas fazer a audição foi uma emoção suficiente. Apenas para esticar e trabalhar assim num espaço de audição, onde geralmente tu fazes uma cena e estás fora. Estes eram quatro personagens diferentes, a mudar na frente de todos, com o processo sendo executado e sem qualquer valor precioso. Não pude sair da sala e dizer “Dê-me um momento”. Acabei de entrar com um saco de porcaria nas minhas mãos, e era como “Vou colocar estes óculos agora e mudar de personagem na tua frente”.

A resposta que as pessoas tiveram à série em termos de questões de identidade e retórica feminista, foi realmente emocionante e uma espécie de surpresa para mim. Esquisito, o que mais pensei em gênero foi quando estava a interpretar estas personagens e o John Fawcett, o showrunner, disse: “Acho que a Alison é a mais feminina”. Eu fiquei “Ok. O que significa isso?” Tinha este bloco na minha cabeça: “O que significa que ela é “feminina”?” Estava a assistir a vídeos para descobrir. Por algum motivo, os personagens me desafiam de certa forma: Helena é uma assassina em série ucraniana que agora é domesticada. O gênero nem era um conceito para ela; Ela estava além disso quase. A minha atriz favorita no planeta é Gena Rowlands e ela interpreta mulheres que, para mim, desafiam o gênero. São mulheres, são femininas, são masculinas, são tudo. Há algo emocionante sobre isso. Não sei como articulá-lo exatamente. Acho que está a sair dos arquétipos um pouco e não se sente restrito.

Ao clicar aqui podem ler a entrevista completa.

Publicado por: Juliana Maia
Categorias: Artigos, Entrevistas, Fotos, Sessões Fotográficas, Tatiana Maslany
comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *